A ascensão do carro blindado começou na metade da década de 1990 no Brasil e continua a se tornar cada vez mais popular. Em 2013, o mercado cresceu de maneira significativa. O seguro do automóvel blindado tende a ser mais caro e, de acordo com as estatísticas, ainda mais se o condutor for mulher.

Ter um carro blindado influencia na manutenção do automóvel. Mesmo quando está apenas com o motorista, a blindagem faz que o veículo tenha o peso de como se estivesse com três pessoas (cerca de 200 quilos a mais). Com isso, é necessário verificar com maior frequência o desgaste dos pneus, freios e todo conjunto de suspensão.
As molas traseiras devem ser trocadas para maior estabilidade e devem ser adicionados amortecedores a gás nos vidros das portas da frente. Isso ajuda no funcionamento do motor para os vidros, já que eles se tornam mais pesados com a blindagem. O seguro do auto pode oferecer boas opções de reparos, manutenções e avaliações periódicas para que o veículo sempre viaje com segurança.

Pelo desgaste ser maior e mais rápido nas peças de suspensão e freios, a manutenção deve ser frequente como um todo. A suspensão e os freios tendem a gastar até 30% mais rápido do que em veículos comuns. Os vidros também merecem atenção e só devem ser higienizados com pano úmido. Além disso, a porta nunca deve ser fechada com a janela semiaberta, deve-se evitar o máximo de stress, que pode quebrar os vidros.
As revisões do carro devem ser feitas a cada 6 meses. Já a primeira deve ser feita apenas 60 dias após a entrega do carro. A manutenção e revisão fazem parte dos planos de seguro de veículo da maioria das empresas.

Para que a manutenção seja feita com segurança, é necessário que a oficina tenha certificado do Exército, que autoriza a reparação em carros blindados. Com essas dicas, você garante um veículo seguro e eficiente.